In addition to wine

"A Tanoaria"

0000 - 0000

"O Tanoeiro" : Operário que faz ou conserva tonéis e outras vasilhas semelhantes de madeira.
TANOARIA

Ao que parece, a industria de tanoaria teve o seu início em tempos muito distantes e para o seu desenvolvimento muito contribuíram actividades que nada tinham com a vinicultura. Não devemos esquecer que ao longo de milhares de anos não existiam muitos recipientes, para poder transportar e conservar, o azeite, a água, a gordura animal, as azeitonas etc. As viagens marítimas necessitavam de muito vasilhame para o transporte de água doce e potável, peixe seco e salgado, carne salgada, farinha, feijão e outros alimentos necessários à sobrevivência dos marinheiros que tiveram que navegar "Por mares nunca dantes navegados".
Segundo alguns historiadores, e tudo leva a crer que sim, o barril ou casco de madeira aparece no século I a. C. e foi o ponto de partida para o desenvolvimento da industria da tanoaria; que tanto beneficia a evolução dos grandes vinhos.
A qualidade da madeira empregue no fabrico de cascos tem grande importância para a conservação e evolução do vinho. As madeiras de carvalho contribuem para afinar as características organolépticas dos vinhos e das aguardentes.
Segundo o Prof. Cinccinnato da Costa, a madeira para vasilhame deve obedecer aos seguintes requisitos: 1º) ser elástica e muito seca; 2º) ter fibras uniformes; 3º) provir de árvores de meia idade mas já feitas; ser de cor uniforme; 5º) não ter veios nem ser nodosa ou galhenta.
A madeira para vasilhame deve ser cortada em pleno Inverno, época de menos seiva nas árvores, para evitar que se comuniquem ao vinho gostos e aromas de gomas, resinas, etc..
Os carvalhos com maior interesse em tanoaria são os seguintes: Carvalho Português (Quercus Lusitânica), Carvalho das Canárias (Quercus Canariensis), Carvalho Séssil (Quercus Sessiliflora), Carvalho Vermelho das Américas (Quercus Boreatis), Carvalho Roble (Quercus Robur) entre outros.
Diz o Prof. Ferreira Lapa que o Carvalho da América do Norte é o que exerce menor acção sobre os líquidos.
Estudos recentes permitem chegar as seguintes conclusões:
Existem diversos tipos de carvalho, consoante a zona de origem, no entanto, os Enólogos dão preferencia a madeira de grão mais fino, menos poroso, rico em baunilha e suave em taninos.
Sobre a madeira de carvalho usada no fabrico de cascos, os especialistas concluiram que os provenientes de Limousin, Allier, Nevers e Tronçais (zonas francesas) , Virgínia, New Orleans e Ohio (zonas dos Estados Unidos da América) e Rússia são as preferidas para o estágio dos grandes vinhos produzidos em todo o mundo.

Alguns recipientes em madeira de carvalho:
Balseiro - Grande dorna ou cuba, na qual se lançam as uvas esmagadas, para a fermentação.
Dorna - Grande vasilha de aduelas, sem tampa, destinada à pisa das uvas ou ao transporte delas para o lagar. (tipo de Balseiro pequeno invertido que se constrói tal como o próprio Balseiro).
Cuba - Vasilha grande de madeira, usada para a fermentação das uvas e recolha de vinho: equivalente a Balseiro, Dorna, Tina e Tonel.
As cubas empregadas para a fermentação dos mostos são feitas quase sempre de madeira de carvalho (fazem-se também de pedra, que se reveste interiormente de cimento, ou até só de cimento armado). Quando são de madeira, têm a forma de um tronco em cone e os arcos que mantêm as aduelas aumentam de espessura e simultaneamente de diâmetro.
Pipa - Vasilha bojuda de madeira, menor que o tonel, para vinhos e outros líquidos. Medida de volume antiga, que equivalia a 25 almudes.
Almude - Medida de capacidade para líquidos, que leva 12 canadas ou 48 quartilhos. Antiga medida de cereais (esta medida varia segundo as localidades. Modernamente, no comércio, considera-se como tal uma vasilha de capacidade de 25 litros.
Canada (s) - Antiga medida portuguesa, de capacidade igual a 4 quartilhos.
Quartilho - Quarta parte de uma canada. O moderno meio litro.
O Casco de Carvalho ou Pipa usado no Douro, para a educação (maturação) dos seus néctars e beneficio (aguardentação) tem uma capacidade que ronda os 550 litros. Nas caves de V.N. de Gaia, a pipa tem uma capacidade que varia de 580 a 630 litros e é normalmente feito com madeiras de origem francesa e americana.
Tina - Pode ter várias dimensões consoante se pretende mais ou menos "chata".

Ceferino Carrera
Sobre este tema visite: www.ovarvirtual.com


Back to the list 'In addition to wine'

PROMOTIONS

FERREIRA WHITE

Tasting Notes: Porto Ferreira White has an appealing yellow-straw hue (...)

6,90 €
5,00 €

WHY BUY AT LUSAWINES?

Apoio e acompanhamento ao cliente

REGISTER

You're not a Lusawine costumer?

Register and you will benefit from many advantages.

PAYMENT

LusaWines have several safe means of payment available to you.



© 2019 LusaWines. Todos os direitos reservados.

Esta página foi imprimida a partir do endereço web: http://www.lusawines.com/alemDoVinho/19/1

Abrir Fechar